Milicos vão em cana por crimes contra a humanidade

Os Punheteiros da Bandeira sul-americanos — que aplaudem governos tirânicos e simplesmente AMAM homens uniformizados — vêm sofrendo duros golpes (HAHA) neste aprazível mês de novembro. São os mesmos babacas reacionários de sempre, que só fazem chupar a bola dos milicos e balbuciar frases estúpidas sobre como Uma Nova Ditadura Colocaria Tudo Nos Eixos, e que não devem ser levados a sério sob nenhuma circunstância. Reflito constantemente sobre os motivos que levam uma pessoa a aprovar a conduta de assassinos & estupradores, mas não consigo chegar a uma conclusão plausível. Talvez sejam todos doentes mentais.

Mas vamos aos fatos:

Ontem, o prefeito do distrito de Providência, em Santiago, organizou um evento a fim de homenagear Miguel Krassnoff, um ex-brigadeiro do regime Pinochet. Krassnoff foi condenado a 144 anos de prisão em 2006, acusado de sequestrar e matar 23 pessoas durante a ditadura chilena. Acontece que, como todos nós sabemos — tomando como base acontecimentos recentes, como os incendiários protestos estudantis em prol de uma educação gratuita e de qualidade no país — os chilenos não ficam calados diante das falhas do governo, e na certa não o fariam nessa situação. Segundo o Estadão, aproximadamente 2000 manifestantes receberam os convidados do evento “com uma chuva de golpes, ovos e insultos”.


A cereja do bolo, porém, é outra.

No começo desse mês, militares argentinos  —  entre eles o ex-general Luciano Benjamin Menéndez, que já acumula seis condenações à prisão perpétua por sequestros, torturas e assassinatos, o tenente Jorge Olivera, acusado do sequestro, tortura, estupro e assassinato da modelo Marie Anne Erize, e quatro ex-pilotos dos “voos da morte” —  foram julgados e condenados pela Justiça do país pelos crimes cometidos durante a ditadura.

A Justiça brasileira poderia seguir caminho semelhante, julgando e condenando os criminosos de farda que agiram durante o nosso regime militar. Assim como Krassnoff, no Chile, aqui os mesmos são incoerentemente tratados como heróis por alguns. Contudo, a lei de acesso a informações públicas e a criação da Comissão da Verdade, sancionadas pela presidente Dilma, podem mudar esse cenário deprimente. Esperemos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s