Últimas

Chá das cinco com borrachas

 
A polícia londrina considerou usar canhões d’água e balas de borracha para conter os tumultos que se espalharam pela cidade nos últimos dias (esse tipo de artifício, no caso das balas de borracha, é usado em São Paulo para dispersar maconheiros protestando pacificamente, então me pergunto o que faria nossa saudosa PM frente à uma multidão encapuzada & enfurecida incendiando e saqueando tudo como se não houvesse o amanhã). O  Peter Waddington, professor de políticas sociais na Universidade de Wolverhampton, disse que “simbolicamente, ter canhões d’água e armas disparando balas de borracha nas ruas de Londres pareceria o fim do mundo”. Veja bem, a polícia que hesita em utilizar tais métodos porque “pareceria o fim do mundo” é a mesma que atira em pessoas desarmadas, como no caso de Mark Duggan.

O David Cameron afirmou que “não há nenhuma justificativa para as agressões sofridas pela polícia”. A coman­dante de polícia Christine Jo­nes disse que “os policiais estão chocados e ultrajados com o nível de violência contra eles”. A BBC disse que “não parece haver um elemento racial nem político ou econômico na onda de violência que se iniciou em Tottenham e se espalhou pelo país”.

Vejam:


E agora leiam o último parágrafo novamente.

É deprimente a maneira como as autoridades e a mídia local tentam desviar a atenção do despreparo da chocada e ultrajada força policial para os saques e a destruição, e parecem esquecer que o que desencadeou tudo isso foi a morte de Duggan.